O amor divino é oposto à malícia e toda forma de maldade, porque o amor é benigno;

À inveja e ao ciúme, porque o amor não é invejoso ou ciumento;

À busca de glória pessoal em coisas vãs, porque o amor não se vangloria;

À soberba, ou seja, ao orgulho, porque o amor não é soberbo;

À falta de sobriedade e moderação, porque o amor nunca se porta inconvenientemente;

Ao egoísmo, porque o amor não busca os seus próprios interesses, mas os de Cristo;

O amor é também oposto à impaciência, porque o amor não se exaspera, ou seja, ele não se irrita, não se deixando provocar facilmente, sobretudo quando provado pelas injustiças e perseguições;

O amor não é vingativo, porque nunca se ressente do mal que lhe façam;

O amor é também oposto à injustiça, porque se alegra somente com a prática da justiça;

E é também oposto à mentira, porque o amor se alegra somente com a verdade;

A intolerância, porque o amor tudo pode sofrer e jamais desistirá de amar;

A incredulidade, porque o amor crê em tudo o que a boca do Senhor tem proferido na Sua Palavra;

É também oposto à desesperança, porque o amor sempre esperará com firme confiança no Senhor, no cumprimento de todas as boas promessas que nos fez na Bíblia.